O impacto dos Millennials

27 fevereiro, 2019

Parabéns, 4 anos Smart!

22 março, 2019

Opinião

Da Universidade para o mundo do trabalho

O fim da faculdade e o aproximar da entrada no mercado de trabalho pode ser assustador e levantar muitas questões. Uma delas é "a faculdade preparou-me para o mundo do trabalho?". A nossa Embaixadora Joana partilha a sua opinião.

15 março, 2019

Quando chegou a altura de escolher o que queria seguir, depois dos exames nacionais, e mesmo antes das candidaturas ao ensino superior, não sabia para onde me virar. Não sabia que curso escolher.

Economia acabou por ser a 1º opção (um pouco por exclusão de partes) assim como a decisão final (uma vez que entrei!).
Estava traçado o percurso, pelo menos para os 3 seguintes anos.

Hoje, quando me preparo para dizer “adeus” ao ensino superior, procuro pelo meu lugar no mercado de trabalho. Procuro empregar todas e quaisquer skills que arrecadei ao longo da licenciatura e deparo-me com o seguinte: não sei fazer praticamente nada daquilo que é pedido!

Das duas uma: ou andei aqui a brincar e assim se passaram uns aninhos da minha vida, ou a faculdade não serviu para me preparar para aquilo que é efetivamente a vida depois da faculdade. De forma a perceber se o problema fui eu, perguntei a várias pessoas como foram as suas passagens para o mercado laboral. Não houve uma que me dissesse "Fácil! aprendes tudo na faculdade!", nem eu esperava isso. Mas também não esperava que todos me dissessem que ao entrarem na empresa x ou y, tiveram de fazer formação quase 360º, porque a faculdade não preparava para um quinto daquilo que seria o mercado de trabalho. 

Eu, pessoalmente, acho que a faculdade deveria incentivar os estágios curriculares durante a licenciatura. Acho que seria uma mais-valia e que o aluno se tornaria num trabalhador através de um processo menos doloroso. Gostava de ter tido oportunidade de fazer pequenos cursos ligados a áreas um pouco diferentes da minha porque, apesar de estar a tirar economia, se este ensino não for complementado saio daqui formatada, a saber tanto quanto um livro de macro 1 e não mais do que isso. 

Como promotora do meu próprio desenvolvimento pessoal, fiz questão de fazer estágios no verão, de participar em tudo o que havia ao nível de feiras de emprego e de integrar associações, de forma a adquirir algumas competências que o curso não me dava.

Mas não chega. Como é que eu hei-de saber como funciona o ambiente de uma empresa? Qual o tipo de empresa onde me posso adequar melhor? Pequena, média, grande? 

Conclusão? Este tipo de coisas só saberei uma vez que as experimente e por isso é que programas como o de embaixadores (empresa-faculdade) são tão importantes. Dá-nos alguns conhecimentos ao nível do funcionamento da empresa e permite-nos ter uma melhor perceção do que nos espera. 
 

Por: Joana
Smartie Ambassador

Newsletter Smart

Queres saber mais sobre a Smart? Subscreve a nossa newsletter!
Novidades, Eventos, Oportunidades e muito mais.